Não Continue Errando

Se você trabalha com desenvolvimento de software no Brasil pode estar vivenciando diversas épocas da história da humanidade. O mundo mudou, as coisas mudaram, mas as empresas ainda continuam com aqueles velhos hábitos e pensamentos sobre a escravidão.

Isso mesmo escravidão. Existe uma grave inversão de valores nas empresas no Brasil e infelizmente não é a minoria das empresas. A maioria das empresas não tem equipes, tem grupos que trabalham de forma desordenada, atrapalhada e individual.

O Individualismo no Desenvolvimento de Software...

Ainda existe a cultura de que desenvolver software é algo individual. Tolice! Por que quando desenvolvemos software precisamos de diversas habilidades como lidar com pessoas, gerenciar riscos, gerenciar expectativas, remover impedimentos, testar, estimar, planejar, verificar o que foi feito e fazer o software. Para isso uma equipe multi-funcional é melhor e lida muito melhor com a complexidade existente nos sistemas.

As empresas continuam a negar isso, achando que se contratarem o Arquiteto Herói vão ter todos os seus problemas resolvidos. Não vão mesmo. Nada contra a disciplina de arquitetura até por que sou Arquiteto, mas não me contendo só com isso.

A cultura do individualismo é colocada de forma indiscriminada muitas vezes sem querer e outras com a maior consciência dos atos. O individualismo leva a criação de grupos não de equipes, fazer um grupo é fácil olha a imagem a baixo.


Grupo de Frutas

Pronto criei um grupo de frutas. Só que a diferença disso pra o desenvolvimento de software em algumas empresas é que as pessoas são pagas em dinheiro para fazer parte do grupo. Um grupo não faz software de qualidade, um grupo não se ajuda, um grupo se desintegra no primeiro problema que existe.



Um grupo precisa ser controlado

Como um grupo é desordenado, sem metas, sem objetivo em comum, ele precisa de controle. Esse controle é provido por um instância que teoricamente é chamada de instância superior, general, comandante, ditador, cacique, presidente, capataz ou nos dias modernos gerente.

A gestão correta se da pela liderança e não pelo controle, mas por que isso não acontece na maioria das empresas, isso acontece por que os ditos gerentes não estão prontos para gerenciar um projeto de desenvolvimento de software e muitas vezes nem estão prontos para lidar com pessoas.

Pessoas não são recursos são ativos. O bom Gerente cativa as pessoas e extrai o melhor delas, de formas diferentes e em momentos diferentes, o ditador dita, o presidente decreta, o comandante ordena. Liderar é muito diferente de mandar.

A pergunta de um milhão de dólares

Isso prova os erros do ser humano. Preparados, então a pergunta de um milhão de dólares é:

Quem desenvolve a solução de software?

Tempo...


Trahhhhhhhhhhhhhhh. Acabou o tempo. Se a sua resposta foi o time de desenvolvimento ou a equipe de desenvolvimento você acertou. Mas por mais incrível que pareça os gerentes também conseguem acertar essa pergunta, mas na hora do projeto esquecem disso.

Como diz o meu amigo Daniel Wildt "Praticar não dói"

Mas se isso é verdade por que os gerentes não deixam as coisas mudarem? Por que eles não deixam as pessoas tentarem melhorar as coisas? Muitas vezes por que eles tem medo da rebelião dos escravos contra o capataz.

Quando falo em praticar, pode ser qualquer coisa, agile, scrum, xp, RUP, FDD, ou qualquer coisa que venha a sua cabeça, se você não tentar nunca saberá se funciona ou não. Ficar pensando em conjecturas não leva ao sucesso.

Inovação requer riscos

Não existe inovação sem riscos, toda parcela de inovação tem riscos, pois é algo novo. Toda escolha tem riscos, se você não arriscar não irá mudar, se não mudar não vai evoluir. O mundo mudou então largue a cultura velha do tempo do pau Brasil. Aposte nas pessoas e na mudança só assim você irá crescer e aprender.

Abraços.


Popular posts from this blog

Telemetry and Microservices part2

Installing and Running ntop 2 on Amazon Linux OS

Fun with Apache Kafka