O Chão de um projeto

Todo projeto de software costuma ter alguém como um papel de liderança, essa pessoa pode ser um Gerente de Projetos, Scrum Master, Líder Técnico ou até mesmo um Arquiteto. Essa pessoa por natureza funciona como um grande catalizador na equipe.

Essa pessoa tem a capacidade de influenciar muito os desenvolvedores do projeto. Tanto pode ser para o bem como para o mal (risada maligna hahaha :)). Mas existe uma coisa que se essa pessoa faz dá uma enorme diferença no projeto. Um plano!

Planejar não é perda de tempo. Com um plano definido as pessoas se sentem seguras, se sentem como se o que elas fazem tem mais sentido, se setem úteis e sentem como parte de algo maior.



Como um chão é possível prestar atenção onde se está pisando e podemos ver aonde vamos dar o próximo passo, no meio da jornada ainda é possível mudar de direção.

A Documento de Visão de Projeto do RUP ou o Documento de Escopo do PMI dão formas ao produto que será desenvolvido no projeto. Sem esses documentos de visão ficamos a deriva e cada pessoa tem uma idéia diferente e como ninguém parou para unificar as idéias e definir o sentido geral da solução todos querem andar em uma direção.



Quantas vezes você já participou de um projeto aonde o gerente de projetos era quem menos sabia do projeto?

A Questão já respondida pelo próprio Tom de Marco é que os gerentes de projetos de software passam muito tempo se preocupando na solução do que propriamente gerenciar o projeto. Planejar é parte fundamental da gerencia.

O Ato de planejar não é exclusivo do gerente, todos no time devem participar, esse plano deve ser aberto e todos devem ter acesso. Quanto mais pessoas participarem desse planejamento mais essas pessoas estarão envolvidas no projeto.

É impressionante como o envolvimento, interesse e comprometimento das pessoas aumenta assustadoramente quando elas estão envolvidas nas atividades de planejamento. Aqui não estou me referindo de um mero planejamento de Sprint, isso ajuda mas é uma parte muito pequena de uma engrenagem muito maior. As pessoas precisam estar envolvidas em planejamento de médio e longo prazo no projeto.

Claro que para tudo isso acontecer vai depender muito da cultura da empresa em permitir que isso aconteça, no inicio é mais difícil mas depois vai ficando melhor e você começa a colher diversos frutos disse trabalho.

Gerenciar não é só planejar é estimar também, não adianta! Por mais que as metodologia *modernas* tentem fugir disso é necessário estimar com uma medida não abstrata e palpável! Querendo ou não algumas pessoas tem muita dificuldade para entender o que eu vou dizer agora:

Não é possível trabalhar em uma organização com planejamento estratégico sem estar falando em datas! Não adianta por mais que você não queira mas é assim que o mundo funciona e é assim que deve ser mesmo!

Mas para isso não é fazendo estimativas em momentos errados e com técnicas erradas que vamos solucionar esse problema. Estimar é uma arte e só se pode aperfeiçoar com o tempo, por isso você deve praticar e muito! As datas devem ser tratadas como metas e devem servir como um comprometimento conforme eu já tinha dito no post anterior.

Se você não estima e não matem dados históricos não é possível avaliar sua performance e melhorar os pontos que não estão bons! Bahh eu já imagino que devem ter pessoas se coçando quando eu 'falei' em dados históricos né!? Pois é mas não é necessário guartar todo e qualquer artefato produzido em um projeto como todos os post-its de um dashboard do Scrum.

Você precisa guardar as datas! Esse já é um ótimo começo, guardando em *dias* quanto tempo você demorou para fazer uma atividade já o suficiente para retroalimentarmos as estimativas e verificarmos o nosso planejamento. Os planos em conjunto com estimativas e os dados históricos que você coleta através do tempo são o chão e a bússola de quem está em uma organização :)

Planejar não é fácil, mas simplesmente não o fazendo você não estará resolvendo o problema mas sim apenas o jogando para baixo do tapete.

Popular posts from this blog

Telemetry and Microservices part2

Installing and Running ntop 2 on Amazon Linux OS

Fun with Apache Kafka